Seguidores do Blog

27 de dezembro de 2011

Porto Alegre rota dos grandes shows internacionais em 2012‎

No Brasil, Porto Alegre vai continuar sendo destino de shows internacionais em 2012. E um deles será o de Roger Waters (foto), no dia 25 de março, às 20 horas, no estádio Beira-Rio. O ex-vocalista do Pink Floyd viaja pela turnê The Wall Live, em que apresenta o disco duplo The Wall na íntegra.

Além da casa do Internacional, o Teatro do Bourbon Country também receberá grandes shows. Por enquanto, são três anunciados. The Sisters Of Mercy, em 08 de março, é o primeiro, às 21 horas. Depois, no dia 15 de maio, o veterano guitarrista norte-americano Buddy Guy, de 74 anos, volta à capital gaúcha. Também toca às 21 horas.

Dois dias depois, em 17 de maio, a banda Concrete Blonde completa o ciclo de grandes shows anunciados pela Opus para o primeiro semestre, no mesmo horário dos dois outros shows no Bourbon Country. Além destes, Sebastian Bach toca no Opinião, em 15 de abril, às 22 horas. O ex-vocalista do Skid Row se apresentou em Porto Alegre em março de 2010, abrindo para o Guns N’Roses. Já a banda de heavy metal Iced Earth toca no dia 27 de março, também no Opinião, às 22 horas.

Noticia retirada do site: novohamburgo.com

Nick Mason - Fictitious Sports - 1981

Olá fanáticos pela maior banda desse mundo, estou trazendo ao blog um disco de um membro da banda o Nick Mason sendo que esse e o primeiro álbum solo de Nick e o primeiro que posto aqui no blog “Pink Floyd – PA”, espero que gostem desse disco, no qual eu ouvir e sinceramente não gostei não... Postei mais a nível de curiosidade para os que ainda não ouviram e/ou para os que desejam te em sua coleção. Segue a baixo uma infor sobre o disco e o Nick Mason do qual retirei do Wikipédia. Abraços a todos!

SOBRE O DISCO:

Nick Mason baterista do grupo Pink Floyd fez o único auto-intitulado álbum de “Nick Mason's Fictitious Sports” lançado em maio 1981 no Reino Unido e EUA, sendo este o primeiro grande trabalho de Mason fora do Pink Floyd. No entanto, o álbum é considerado por muitos um álbum de Carla Bley em tudo menos no nome, já que ela escreveu todas as músicas e co-produziu. É cantada por Robert Wyatt, com exceção da música de abertura. O álbum foi gravado em novembro de 1979, mas seu lançamento foi adiado por quase dois anos.


Eu fiz Fictitious Sports” mais como um exercício. Há mais longevidade em 'Profiles' ... ele é forte o suficiente para ser aceito como um registro de 'bom'.
-Nick Mason.


Originalmente, eu tinha arranjado para ir para a América e fazer um álbum usando todo tipo de material, mas, em seguida, Carla me enviou uma fita com algumas de suas idéias. Foi muito diferente do que ela tinha feito antes e absolutamente em consonância com o que eu gosto. Então eu pensei que seria muito melhor fazer isso do que luta desesperadamente para encontrar as coisas que funcionam em conjunto.
-Nick Mason.

SOBRE O NICK MASON

Nicholas Berkeley Mason, conhecido como Nick Mason nasceu em 27 de Janeiro de 1944, Birmingham, Inglaterra, foi o baterista e ocasionalmente compositor do grupo Pink Floyd.

Mason estudou na “Regent Street Polytechnic”, onde se juntou a Roger Waters, Syd Barrett, Bob Klose e Richard Wright em 1964 para formar o Sigma 6.

Fez alguns trabalhos com outros músicos notavelmente como baterista e produtor para Steve Hillage e Robert Wyatt, como baterista para Michael Mantler e como produtor para The Damned.

Mason possui (através da sua empresa “Ten Tenths“) vários carros clássicos nos quais participa em corridas, tendo completado às 24 Horas de Le Mans. É também um piloto qualificado e um dos poucos donos de uma Ferrari Enzo Ferrari. (Não sei se alguns de vocês viram, mais o Nick Mason foi entrevistado e apareceu no “Auto Esporte” programa da Rede Globo que e transmitido aos domingos).

Tem dois filhos com sua segunda esposa, Annette, e duas filhas do primeiro casamento.

Nick lançou em 2004 o livro Inside out - A personal history of Pink Floyd, contando a sua versão sobre toda a trajetória da banda. (e um livro que quero muito ler!).

Faixas:

1. "Can't Get My Motor to Start" – 3:39

2. "I Was Wrong" – 4:12

3. "Siam" – 4:48

4. "Hot River" – 5:16

5. "Boo To You Too" – 3:26

6. "Do Ya?" – 4:36

7. "Wervin"' – 3:58

8. "I'm a Mineralist" – 6:16

Download - 34 mb - Servidor 4Shared

26 de dezembro de 2011

Live at the Orange Bowl, Miami 01-11-87


Live at the Orange Bowl, Miami é um show realizado no dia 1 de Novembro de 87 durante a turnê do álbum “A Momentary Lapse Of Reason”, esse roio apresenta qualidade boa de áudio, onde se pode fazer o download tranquilo com a certeza de que você estará baixando um ótimo material. Pode deixa que tem muito mais material para se disponibilizado. Abraços.

Disc 1

01 Intro/Shine On You Crazy Diamond

02 Signs Of Life

03 Learning To Fly

04 Yet Another Movie / Round And Around

05 A New Machine (Part 1)

06 Terminal Frost

07 A New Machine (Part 2)

08 Sorrow

09 The Dogs Of War

10 On The Turning Away

Disc 2

01 One Of These Days

02 Time

03 On The Run

04 Wish You Were Here

05 Welcome To The Machine

06 Us And Them

07 Money

08 Another Brick In The Wall (Part 2)

09 Comfortably Numb

10 One Slip

11 Run Like Hell (Fades Out)


Download Disc 1 - 93 mb - Servidor: 4Shared

Download Disc 2 - 103 mb - Servidor: 4Shared

Roger Waters - To Kill The Child-Leaving Beirut 2004

Olá pessoal, acabei de fazer o download desse disco e estou disponibilizando-o no blog para vocês curtirem também, adoro ouvir essa canção do Roger “Leaving Beirut” onde ele fala sobre uma experiência que teve aos 16 anos quando foi ao Líbano. A versão dessa musica que mas gostei foi a da tour do “Dark Side Of The Moon” do Roger Waters e que estava linda e com um maravilhoso solo de guitarra, nesse disco ela encontra-se bem diferente no entanto continua com sua essência maravilhosa, amo ouvi essa canção...

Espero que gostem desse pequeno disco, postei mesmo para completa a coleção dos fãs de Roger Waters, e para quem não sabe fiquem a vontade para fazer perdidos!!!

Esse disco foi lançado em 2004 e pela pesquisa que fiz teve lançamento official somente no Japão e tembém pela web, para quem desconhece sobre a musica “Living Beirut” segue abaixo a letra traduzida que é por sinal muito longa (risos). Abraços a todos.

Leaving Beirute (Tradução)

Deixando Beirute

Então nós saimos de Beirute, Willa e eu

Ele foi em direção ao Leste para Baghdad e o resto disso

Eu fui para o Norte, para casa

Eu andei por umas cinco, seis milhas até o ultimo poste da rua

E sentei no meio fio, no crepusculo

Com meu dedão levantado

Sem grandes esperanças em relação ao trafego local decrépito

Sucesso!

Uma velha Mercedes 'dolmus'

O onipresente taxi dividido, Arabe, apareceu

Eu revirei meus bolsos e dei de ombros, falei ao motorista

-Eu não tenho dinheiro

-Entre!

Uma voz macia no banco de tras

O motorista se esticou e abriu a porta de trás

Eu me esgueirei para olhar os dois homens ali

Um mal encarado, exausto, de bigode, irritado, distante, atrasado

O outro, aquele que tinha falado,

Fragil, uns 50 anos, careca, pálido, vestindo uma camiseta azul-palida de algodão

Com uma caneta no bolso

Um caixeiro talves, levemente afundado no assento

-Entre!

Ele disse novamente, e sorriu

-Mas eu não tenho dinheiro

Sim, sim, certo, entre!

São essas as pessoas que devemos bombardear?

Temos certeza que elas nos querem fazer mal?

Esse é o nosso prazer, crime ou castigo?

Essa é uma montanha que realmente queremos escalar?

A estrada é dificil, dificil e longa

Abaixe suas ferramentas

Esse homem nunca te expulsaria de sua porta

Oh George! Oh George!

Aquela educação do Texas deve ter fodido sua cabeça quando voce era pequeno

Ele acenou com um pequeno movimento artritico de sua mão

Dedos juntos como uma criança que da tchau

O motorista colocou minha velha guitarra Hofner na mala, junto com minha mochila

E então seguimos

-Você é Frances, senhor?

-Não, Ingles

-Ah! Ingles

-Voce fala ingles, senhor?

-Não, sinto muito

E assim por diante

Numa pequena conversa entre estranhos, seu Frances com sotaque estrangeiro, mas correto

O meu meio capenga, mas ávido para se fazer entender

Uma carona, afinal de contas, é uma carona

O atrasado bigodudo nos deixou bruscamente

E algumas milhas adiante o Dolmus foi parando num cruzamento iluminado por uma unica lampada

Fez um contorno e parou numa nuvem de poeira

Eu abri a porta e saí

Mas meu benfeitor não se moveu

O motorista jogou minha guitarra e minha mochila nos meus pés

E acenando respondendo meu obrigado voltou ao porta-malas

Apenas para buscar um par de muletas

As quais ele encostou na traseira da Mercedes.

Ele chegou no carro e levantou meu companheiro para fora

Apenas uma perna, a segunda era a perna da calça cuidadosamente pregada na altura do quadril

-Senhor, por favor, seria uma honra se voce acompanhasse eu e minha esposa no jantar la em casa"

Quando eu tinha 17 anos minha mãe, abençoado seja seu coração, atendeu meu sonho de verão

Ela me deu as chaves do carro

Nós dirigimos até Paris, abastecidos de anfetamina e bebida

Fui preso em Antibes pelos tiras

E fui roubado em Naples pelos italianos

Mas todos foram gentis conosco, nós éramos os caras ingleses

Nossos pais haviam ajudado eles a ganhar a guerra

Quando todos sabiamos pelo que lutavamos

Mas agora um Ingles no estrangeiro é apenas um pateta dos EUA

O bulldog é um poodle dando voltas no ultimo refugio do canalha

-Minha esposa

Graças a Deus! Perneta mas não esquisito (ou homosexual)

O taxi saiu nos deixando na palida luz da lampada que balançava

Nenhum prédio a vista

Que diabos

-Obrigado senhor

-Certo, siga-me!

Sua face enrugada de alegria, ele seguiu na minha frente

Balançando sua perna entre as muletas com um cuidado agoniante

Seguindo pela estrada empoeirada até a escuridão

Depois de meia hora andamos mais ou menos meia milha

Quando a direita eu percebi o semblante de um prédio

Ele falou em Arabe para anunciar nossa chegada

E depois de algum movimento dentro uma lampada foi acesa

E o angulo de luz que mudava na fresta abaixo da porta

Assinalava a chegada de alguem

A porta see abriu e lá, segurando uma lampada a oleo antiga

Estava uma mulher pequena, de bigode, sorrindo para nós

Ela nos deu passagem e quando ela virou

Eu vi a razão da inclinação dela

Ela carregava em suas costas uma corcunda chocante

Eu acenei e sorri para ela, lutando pelo controle

A gentileza entre o homem perneta e sua esposa monstruosa

Era muito para mim

A gentileza é muito para nós?

A gentileza deveria ser preenchida com empatia?

Nós sentimos pelos filhos de outra pessoa

Toda vez que uma bomba teleguiada faz suas somas e erra

O filho de outra pessoa morre e o saldo na defesa sobe

America, America, por favor nos escute quando falamos

Voce tem hip-hop, be-bop, jogos e agitação

VOce tem Atticus Finch

Voce tem Jane Russell

Voce tem liberdade de expressão

Voce tem ótimas praias, fauna e shopings

Não deixe que a poderosa, a direita cristã, foda isso tudo

Para voce e para o resto do mundo

Eles andaram extasiados

Ela foi pegar as muletas dele numa rotina de cuidado

Ele advertindo, fazendo gestos

-Nós temos um convidado

Ela envergonhada por sua falta de maneiras

Pegou minhas coisas e as colocou gentilmente num canto

-Quer chá?

Nós sentamos em colchões miseraveis no canto do unico quarto

O chão era de terra batida, dura, e numa parede uma plataforma

De mais ou menos 2X1 metros coberta por um cobertor simples, a cama

A corcunda se ocupou com pequenos copos de cobre sobre uma lareira

E nos trouxe chá, quente e doce

E para jantar

Um pão simples de farinha e agua, da grossura de um biscoito

Assado numa frigideira de ferro sobre a lareira

Depois dobrado e mergulhado no interior macio de um ouriço do mar

Minha anfitriã não comeu, eu comi o jantar dela

Ela não escutaria mais nada, eu era o convidado deles

E ela se retirou atras de uma cortina

E deixou os homens bebndo xicaras cheias de Arak

Cuidadosamente despejado de uma garrafa com um rótulo sumindo

Logo ela reapareceu, radiante

Carregando em seus braços o orgulho e a felicidade deles, sua criança.

Eu nunca vi uma vesga como aquela criança

Era tão severo que enquanto um olho olhava o outro desaparecia atras de seu nariz

Não em meu nome, Tony, voce, seu grande lider de guerra

Terror é ainda terror, não importa quem faça as regras

A história não é escrita pelos derrotados ou amaldiçoados

Agora nós somos Genghis Khan, Lucretia Borgia, Filho de Sam

Em 1961 eles levaram essa criança para casa

Eu me pergunto o que aconteceu com eles

No caldeirão que era o Libano

Se ue pudesse acha-los agora, será que eu poderia melhorar as cosias?

Como a história acaba?

E então para cama, eu fui, eles não

É claro que eles dormiram no chão, atras da cortina

E eu fiquei deitado, acrodado a noite toda, na cama de terra

E então chegou a madrugada e seus movimentos quietos

-Cuidado para não acordar o convidado

Eu bocejei como um grnade pretexto

E peguei a bacia de agua aquecida que me ofereceram e me lavei

E tomei meu café em sua chicara pequenina

E então com muitos "merci-ing" (agradecimentos) e me curvando e apertando as mãos

Nós deixamos a mulher em seus afazeres

E nós homens voltamos até o cruzamento

A dolorosa lentidão de nosso progresso acentuada pela brilhante luz da manhã

O Dolmus pontualmente reapareceu

Meu anfitrião me deu uma bengala e se apoiando na outra

Apertou minha mão e sorriu

-Obrigado senhor, eu disse

-De nada

-E agradeça sua esposa por mim, ela foi muito gentil

E entreguei sua outra bengala

Ele se deixou sentar no banco traseiro do taxi novamente

-Boa-viagem senhor, ele disse

E meio curvado enquanto o taxi seguiu para o sul, para a cidade

Eu virei para o Norte, minha guitarra em meus ombros

E o primeiro sopro quente do vento

Rapidamente secou as lagrimas salgadas em minhas bochechas juvenis.


Download - 37 mb - Servidor: 4Shared

24 de dezembro de 2011

The Wall Live Tour



Boa tarde amigos segui a baixo informações sobre o show de Roger no Brasil, na verdade e uma blasfêmia chama esse espetáculo de show e que em nosso país nunca teve algo igual a não se as apresentações anteriores do Roger (risos), estou me organizando e correndo atrás porque ano que vem quero esta lá no meio sendo um dos milhares de fãs a curti essa obra prima de perto (THE WALL), pessoal espero que eu não sofra nenhum ataque cardíaco na hora devido a muita emoção, ainda mais que eu já vi como o concerto acontece e putz esta muito FODA e me arrepio só de vê os efeitos e toda a mega produção que esta envolvido nesse espetáculo, agora vê isso tudo acontece diante dos meus olhos e algo forte e que com certeza irá marca a minha vida e de todos vocês! E isso ai amigos vamos lá e juntos iremos presencia a fantástica obra prima da Banda Pink Floyd tocada minuciosamente em nossa frente, isso e um sonho que tenho desde criança e espero de coração realizá-lo, triste fico de nunca te presenciado e nem terei a oportunidade de vê a reunião dos quatros membros do Pink tocando The Dark Side Of The Moon....


Local: Estádio do Morumbi - SP

Data: 03 de Abril de 2012

Abertura dos Portões: 18h00

Início do Show: 21h00


COMUNICADO IMPORTANTE ALTERAÇÃO DE DATA DO DIA 31 DE MARÇO PARA O DIA 03 ABRIL 2012.

A primeira apresentação de Roger Waters em São Paulo, no Morumbi, teve data alterada. O show acontece no dia 3 de abril de 2012 (terça-feira), em vez de 31 de março de 2012 (sábado). A previsão de início é 21h. As demais apresentações da turnê The Wall - Live permanecem inalteradas.

Segundo a produtora, "a mudança na data é consequência de questões técnicas e de logística que não permitem tempo suficiente para o show acontecer da maneira que foi concebido no dia 31 de março".

Vamos lá Floydianos!!!

Mr. Pig – 09-08-1977

Olá amigos floydianos (as) trago a vocês um ótimo bootleg nomeado “Mr. Pig” do concerto realizado no dia 09 de Maio de 1977 em Oakland, Califórnia (EUA), turnê do disco “Animals”. Passei dias a ouvir esse disco, pois a qualidade de áudio está muito boa, sem falar do entusiasmo de todos os membros da banda ao tocar as canções e o público é claro. Nick Mason está mandando muito na bateria, dando toques especiais nas músicas, sem falar na guitarrada de Gilmour, com ótimos solos e com novos incrementos (improvisos). Richard, como sempre, mandando bem no teclado e Roger Waters com seus gritos e arranjos de baixos, pois então pessoal façam o download desse magnífico bootleg que está muito show, vocês escutarão o disco “Animals” de uma maneira nova e muito envolvente (bati até a cabeça para as músicas), por favor, deixem comentários a respeito desse roio, quero saber o que acharam desse show e se tem algum roio melhor. Eu adorei mesmo! David Gilmour foi perfeito nos solos de guitarra, sem falar da impressão que você tem ao escutar o roio, parece que estamos realmente no show e que ao fecharmos os olhos da para imaginamo-los tocando...

Destaque para a música “Dogs” que está bem legal, sem falar que é a melhor música do disco, e nesse show o Nick está brincando com o bumbo duplo durante a música!!! Também, destaque para a canção “Pig On The Wing (Part Two)” que apresenta um solão no fim da música, solo este que foi retirado da sua composição original em que a canção era nomeada “Pig On The Wing parte 1 e 2” e que esta disponível na mega coletânea “A Tree Full Of Secrets” onde a musica esta unida por este solo, mais ao ser lançado, o solo foi cortado e colocaram a música no início e fim do álbum “Animals”. Em minha opinião, este é um álbum perfeito pelo motivo de que as músicas ainda serem atuais, como se o som que eles produziram em 77 fosse algo de agora, não sei se vocês têm essa mesma impressão ao ouvir Animals.

Set List

DISC 1

1. Sheep

2. Pigs on the Wing (Part 1)

3. Dogs

4. Pigs on the Wing (Part 2)

5. Pigs (3 Different Ones)

6. Shine on You Crazy Diamond (Part 1-5)

7. Welcome to the Machine

DISC 2

1. Have a Cigar

2. Wish You Were Here

3. Shine on You Crazy Diamond (Part 6-9)

4. Money

5. Us and them

6. Careful with that Axe, Eugene

Abraços a todos e guardem o fôlego que vem mais!


Download Disc 1 - 119 mb - Servidor: 4Shared

Download Disc 2 - 138 mb - Servidor: 4Shared

David Gilmour - In Floyd We Trust 1984

Bom Dia Amigos Floydianos e Floydianas desse mundo lindo (risos) estou bastante animado e um tanto quanto inspirado, acho que é pelo dia de hoje, pois então amigos como prometido irei fica aqui postando o quanto de os discos do Pink Floyd e de seus membros, esse será meu presente a vocês fãs da banda e do Blog, espero que curtam e compartilhem os discos com outras pessoas de bom gosto (risos), desde já desejo a todos um Feliz Natal e que claro que esse dia seja regado ao som de Pink Floyd (Us and Them) e cerveja bem gelada que não pode falta ou um belo vinho tinto de mesa para acompanhar uma fatia gorda e deliciosa de um peito de peru.

In Floyd We Trust, é um disco de 1984 durante a turnê do seu álbum "About Face", o show contem musicas do Pink Floyd como "Run Like Hell", "Money" e a Fantástica "Comfortably Numb" como de costume David Gilmour arrasando nos solos de Guitarra.

Abraços a todos e novamente Feliz Natal.

Set List

01 - Until We Sleep
02 - All Lovers Are Derranged
03 - Money
04 - Love On The Air
05 - Short And Sweet
06 - You Know Im Right
07 - Run Like Hell
08 - Blue Light
09 - Comfortably Numb


Download - 69 mb - Servidor: 4Shared

15 de dezembro de 2011

Viagem ao lado obscuro David Gilmour e Roger Waters revelam por que a frágil colaboração por trás de The Dark Side of the Moon

Boa Noite amigos Floydianos de todo o Brasil e do mundo, através do blog tenho conseguido apoio de muitos seguidores da banda, mais não imaginava ate onde essa idéia de criar um blog voltado a discutir, informar e compartilhar discos sobre a banda fosse tão longe a ponto de ter mais de 140 mil acessos desde sua criação e 500 acessos diários, onde pessoas de importância fossem me contatar para pedir apoio na divulgação de concursos e matérias voltados a banda, como a que estou a divulgar, onde a revista Rolling Stones através da Thais responsável de marketing da mesma me enviou um Email para que divulgasse no blog a matéria de capa sobre a banda, fico muito feliz em pode ajuda =D, e é isso amigos do Blog e fãs da banda segue a baixo um trecho da matéria.

Leia abaixo um trecho da matéria de capa da edição de dezembro/2011 da Rolling Stone Brasil, nas bancas a partir de 9/12

Poderia ser uma música nova do Pink Floyd, se a banda ainda existisse como algo além de uma memória, mais do que uma parceria comercial apenas cordial. David Gilmour está sentado em cima de uma estante de equipamentos na sala de controle de sua casa-barco extravagante nos arredores de Londres, dedilhando uma progressão de acordes descendentes em um antigo violão Martin de 12 cordas, enquanto entoa uma canção melancólica e sem palavras. “Estou inventando isso agora”, ele diz e continua a tocar. Na parede atrás dele, o rio Tâmisa bate no casco sob o céu cinzento do outono prematuro.

Promoção especial: concorra à dicografia completa do Pink Floyd

“Há alguns anos”, Gilmour prossegue em seu sotaque britânico refinado, “eu estava fazendo a mesma coisa na sala de controle número 3 e saiu isto aqui.” E ele mostra a introdução inconfundível de “Wish You Were Here”, de 1975. “Isso foi composto e tocado neste violão – então, se sair alguma coisa, a gente tem que prestar atenção.”

“Wish You Were Here” é um caso raro no catálogo do Pink Floyd: uma colaboração indiscutível, cara a cara, entre Gilmour e Roger Waters – o baixista, letrista e força criativa do Pink Floyd durante o período de maior sucesso da banda. “Roger disse: ‘Tem algo aí, eu tive uma ideia’”, diz Gilmour, “e daí ele escreveu os versos e o refrão juntos – ele escreveu as palavras.”

Apesar de também dividirem o crédito em outro clássico do Pink Floyd, “Comfortably Numb”, entre outras faixas, Gilmour e Waters nunca formaram nada que chegasse perto de uma dupla de composição consistente, ao estilo de Lennon e McCartney. Como Waters declarou à Rolling Stoneem 1987, após a sua rancorosa saída da banda: “Nós nunca conseguimos chegar a uma visão comum da dinâmica que existia dentro da banda, de quem fazia o que e se estava certo ou não”. Até hoje essas questões permanecem à tona e até hoje ninguém chegou a um acordo.

Concorra a ingressos para show de Roger Waters em São Paulo

Mas atualmente as relações são civilizadas o bastante para Gilmour, Waters e o outro integrante sobrevivente, o baterista Nick Mason, terem chegado a um acordo que pode representar sua última reunião de forças conjuntas: o projeto do relançamento de todo o catálogo do Pink Floyd. Todos os álbuns de estúdio foram remasterizados, e os três que fizeram mais sucesso – The Wall, de 1979,Wish You Were Here, de 1975, e a obra-prima The Dark Side of the Moon, de 1973, que vendeu 40 milhões de cópias – estão recebendo o tratamento de caixas de luxo, com sobras de estúdio que estavam perdidas há muito tempo, gravações ao vivo e vídeos. “Nós estamos fugindo daquela coisa de ser seletivos em excesso”, conta Gilmour, “para não deixar de lançar qualquer coisa que seja considerada abaixo do padrão. Tudo que existe vai sair, de um jeito ou de outro”.

Você continua lendo esta matéria na edição 63 da Rolling Stone Brasil, Dezembro/2011.